• Pedro Poncioni

(Des) construção

Uma filosofia para os nossos tempos


Quando pensamos em Nietzsche e no século XIX, podemos considerar a época como o século da destruição em nome de novas criações. Se avançamos para o final do século XX e início do XXI, encontramos Derrida e o tempo da (des) construção - de gêneros, de saberes científicos e morais, da verdade... Aqui, tudo passa a ser entendido como uma construção. Movimento esse que acompanhamos e vivemos hoje.


No século XIX, o caminho para a criação passava por um processo de destruição. Agora, consideramos o que antes era "natureza, origem, essência", uma construção performática ou narrativa - consciente ou inconsciente. E é a partir dessa abordagem que podemos nos (des) construir em favor de performances narrativas mais democráticas.


Ora, assim, só podemos viver a (des) construção de tudo aquilo que se pensava concreto e sólido por essa mudança de perspectiva, onde tudo é construção. E novas construções só podem acontecer porque a (des) construção abre esse espaço.


E não é um mero jogo de palavras. (Des) construir se torna o movimento que abre o espaço democrático para a diversidade e a alteridade, onde antes existia uma construção rígida que não dava conta de abrigar o outro, aquele que não era considerado e não podia ser incluído.


O outro e a alteridade são, portanto, os elementos que movem a (des) construção em favor de construções mais amplas e democráticas. Nesse sentido, tomamos consciência que toda construção democrática demanda uma (des) construção em favor do outro, com sua singularidade.


Agora, Vivemos o tempo que, paradoxalmente, des-construir já inclui em seu ato o construir em favor do outro.


*Pedro Poncioni é carioca, doutor em filosofia e tarólogo.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo